Blog

8 grandes tocadores de viola brasileiros. Saiba quem são eles:

Música
22.05.2015

Instrumento musical por excelência do meio rural, a viola caipira é o símbolo da música popular brasileira. O instrumento de 10 cordas se mostra em diversas manifestações culturais como Catira, Folia de Reis, Fandango, etc.

Há diversas lendas e histórias a respeito das afinações da viola. O nome da afinação Cebolão, por exemplo, seria do fato das mulheres chorarem emocionadas ao ouvir a música, como quem corta cebola.

A afinação Rio Abaixo seria originada na lenda de que o diabo costumava descer os rios tocando viola nessa afinação e, com ela, seduzindo as moças e as carregando rio abaixo. Do violeiro que utiliza esta afinação diz-se, eventualmente, que pode estar enfeitiçado ou ter feito pacto com o demônio.

A viola caipira busca sua imortalidade através de grandes violeiros como os citados abaixo:

Renato Andrade

Com Renato Andrade, a viola ganhou um tempero erudito, mas sem perder o sabor caipira.
Exímio instrumentista, um dos melhores violeiros que já existiu, com ele a viola caipira correu o mundo, passando a frequentar palácios, teatros e palcos. Mineiro do Abaeté- MG começou tocando música clássica, o violino, mas a sua genialidade explodiu na viola caipira. Com ela, muitas vezes enfeitada de fitas, ele correu o Brasil afora e esteve também no exterior.

Almir Sater

Tem um estilo caracterizado pelo experimentalismo. Almir Sater tornou-se um dos responsáveis pelo resgate da viola de 10 cordas agregando um toque mais sofisticado ao instrumento, estilos como blues e rock, embalados pela pegada do folk, uma mistura de música folclórica, erudita e popular, considerada atemporal.

Com mais de 30 anos de carreira e 10 discos solos gravados, é considerado um artista completo, graças ao seu talento na viola. O violeiro foi reconhecido pela Revista “Rolling Stone Brasil” como um dos trinta maiores instrumentistas da música brasileira.

Chico Lobo

Violeiro, compositor, cantador, Chico Lobo é natural de São João del-Rei, cujo jingle oficial é de sua autoria. Artista carismático toca viola caipira desde os 14 anos. A crítica o considera um dos mais ativos e efetivos violeiros no processo de popularização da tradição musical do cenário brasileiro. É um profissional consciente do seu importante papel no universo da viola caipira e é desse modo que domina o palco – com presença e comunicação ímpares.

Com a viola na mão toca e canta as folias, os congados, os catiras, as modas e demais ritmos que enfocam suas raízes mineiras e brasileiras – sempre de modo muito envolvente -, seja solo ou acompanhado por sua excepcional banda.

Ivan Vilela

É um compositor, arranjador, pesquisador, professor e violeiro brasileiro. Em 2010, a TV Cultura exibiu o especial Ivan Vilela. É diretor da Orquestra Filarmônica de Violas.

Obteve o doutorado em Psicologia Social pela Universidade de São Paulo com a tese “Uma história social da música caipira em 2011”.

Pereira da Viola 

É um cantador, violeiro e compositor brasileiro nascido em Teófilo Otoni, nordeste de Minas Gerais e que faz pesquisas da cultura popular pelo Vale do Jequitinhonha.

Pereira da Viola iniciou sua carreira artística nos anos 80. E em seu repertório constam diversos ritmos característicos do folclore brasileiro, tais como calangos, forrós, catiras, frevos, maracatus, toadas e folias.

Pereira também possui outras habilidades, incursionando inclusive na música erudita dos grandes mestres: arranjou para viola caipira o famoso “Bolero”, de Ravel, e também a “Habanera”, da Ópera “Carmen”, de Bizet.

Roberto Corrêa

Ainda jovem, fascinado pela viola caipira e pela viola de cocho, dedicou-se a explorar seus mistérios e a expandir seus limites.

Hoje é um dos mais importantes violeiros do Brasil. Sua atuação foi fundamental para o desenvolvimento do potencial de solista da viola. Instrumentista virtuoso, compositor e pesquisador, Roberto Corrêa é reconhecido por seu talento e dedicação.

Sua discografia mostra a diversidade de sua expressão criativa, suas pesquisas são referenciais no universo da viola, e suas performances têm levado a viola caipira e a viola de cocho aos palcos de dezenas de países do mundo.

Helena Meirelles

Foi uma violeira, cantora e compositora brasileira, reconhecida mundialmente por seu talento como tocadora de viola caipira.

Helena Pereira Meirelles cresceu rodeada de peões, comitivas e violeiros. Fascinada pelas violas caipiras, a família não permitia que aprendesse a tocar, o que acabou fazendo por conta própria, às escondidas.

Só ganhou reconhecimento nacional aos 67 anos, a partir de uma matéria elogiosa na revista norte-americana “Guitar Player” que a escolheu como uma das “100 mais” por sua atuação nas violas de 6, 8, 10 e 12 cordas. Só depois, apresentou-se em um teatro pela primeira vez e gravou discos.

Tião Carreiro

Antes de Tião Carreiro a viola acompanhava o violão nos outros ritmos sem se destacar, a não ser em arranjos simples em cateretês e cururus. Tião Carreiro criou então o “pagode”, modalidade de ritmo que exige grande habilidade na execução dos arranjos, com solos de viola na introdução da música e repetidos nos intervalos dos versos.

A viola passou então a ser tocada em batidos: o violeiro acompanha a melodia, durante a cantiga, fazendo a viola “conversar” em dueto e em oitavas com o intérprete.

Confira mais na matéria: 5 motivos pelos quais  Tião Carreiro é o rei da viola: http://blog.brasilcowboy.com.br/musica/saudades-de-tiao-carreiro-o-rei-da-viola/

 

Há outros grandes violeiros neste Brasil e esperamos fazer um outro post sobre eles. Enviem suas sugestões.

compartilhe o post

Comente Pelo Facebook