Blog

Os 10 maiores cantores de sertanejo raiz de todos os tempos

Música
16.01.2017

Música sertaneja é uma coisa boa na vida do povo sertanejo. Mas existem aquelas que lembram a essência desse estilo musical, que é o  “sertanejo raiz”. Desde o seu início, em meados de 1900, a música sertaneja se transforma e se altera. Porém, seu real significado e valor permanecem nas letras e melodias: a simplicidade da vida no campo. Selecionamos as 10 maiores duplas de todos os tempos e que deram ainda mais significado e valorizaram a cultura sertaneja.

1- Tião Carreiro e Pardinho

Para muitos, se trata de umas das melhores e maiores duplas de sertanejo raiz de todos os tempos. Tião Carreiro conheceu Pardinho no Circo Rapa Rapa, em Pirajuí, quando Tião ainda tinha o pseudônimo de Zé Mineiro, em 1954.

A dupla Tião Carreiro e Pardinho é tida como uma das principais da música sertaneja de raiz e inventores do pagode, considerados artistas de primeira linha no gênero. Tanto é que Tião é considerado o Pelé dos violeiros, pois era impecável em todos os fundamentos da sua arte.

Entre seus muitos clássicos estão “Pagode em Brasília”, “Rio de Lágrimas” e a insuperável interpretação de “Rei do Gado”.

2- Inezita Barroso

Nascida numa família abastada apaixonada pela cultura e principalmente pela música brasileira, Inezita começou a cantar e tocar violão e viola desde pequena com sete anos. Inezita Barroso é considerada uma das principais cantoras da música sertaneja brasileira. É reconhecida como a mais antiga e mais importante expressão artística da música caipira no País.

3- Irmãs Galvão

Mary e Marilene Galvão formam uma das principais duplas femininas de música raiz do Brasil. As “Irmãs Galvão”, como são nacionalmente conhecidas, quebraram muitas barreiras, venceram o preconceito e abriram as portas do mundo da música sertaneja para outras mulheres.

Mary toca sanfona; Marilene, viola e violão. Incentivadas pelos pais, formaram a dupla em julho de 1947, em Sapesal SP.  Ainda eram crianças, mas já encantavam a todos com o talento precoce.Com mais de 300 músicas gravadas, as Irmãs Galvão venceram, mas não esqueceram suas origens sertanejas.

4- Milionário e José Rico

Tanto Romeu como José Alves já haviam formado diversas duplas. Os dois se conheceram na Capital Paulista, ao final da década de 1960. Romeu, por sua vez, acabou adotando o nome artístico de Milionário para combinar com o do novo companheiro, que já possuía o apelido de José Rico (José Alves).

Uma das mais famosas do país, conhecidos nacionalmente como “As gargantas de ouro do Brasil”. Com quarenta e dois anos de carreira, a dupla já vendeu cerca de 35 milhões de exemplares de seus 29 discos gravados desde o ano de 1973.

Curiosidade: A música Estrada da Vida tornou-se lendária, entitulando até o filme, onde Milionário e José Rico atuam, interpretando eles mesmos. O sucesso do filme foi em todo o Brasil, e conquistou o primeiro lugar no Festival Internacional de Filmes de Brasília e foi vendido para diversos países, inclusive a China. Milionário e José Rico foram convidados pelo Governo Chinês a se apresentarem naquele país no ano de 1985.

5 – Tonico & Tinoco

Tonico & Tinoco foi uma dupla caipira brasileira, considerada a mais importante da história da música brasileira e a de maior referência, ambos entraram na lista dos “maiores músicos recordistas de vendas da história mundial”. O gosto pela cantoria veio dos avós maternos Olegário e Izabel, que alegravam a colônia com suas canções, ao som de uma antiga sanfona.

Em 60 anos de carreira, Tonico e Tinoco realizaram quase 1000 gravações, divididas em 83 discos. As gravadoras a que eles pertenceram já lançaram no mercado um total de 60 discos. Tonico e Tinoco venderam mais de 150 milhões de discos, realizando cerca de 40.000 apresentações em toda a carreira.

6 – Chitãozinho & Xororó

São mais de quarenta anos de total dedicação às cantorias e vida artística. Mas não foi da noite para o dia que José Lima Sobrinho e Durval de Lima transformaram-se em Chitãozinho & Xororó, nomes nacionalmente conhecidos e respeitados pelo grande público.

O primeiro disco oficial da dupla foi “Galopeira” em 1970. Eles começaram a colher os primeiros resultados em 1978. Com “60 Dias Apaixonados” conquistaram o primeiro disco de ouro da carreira.  Porém, mas o reconhecimento do grande público veio em 1982 com a canção “Fio de Cabelo” do disco “Somos apaixonados”, oitavo trabalho da dupla. Tudo na vida da dupla passou a ser separado como antes e depois dessa canção.

7 – Zezé di Camargo & Luciano

Fã de Tonico e Tinoco, seu Francisco, um lavrador de Pirenópolis, aspirava um sonho: ter dois filhos homens que pudessem formar uma dupla sertaneja. Assim, nasceu a dupla Camargo e Camarguinho. Em 1974, a família foi para Goiânia, sempre em busca do sonho de seu Chico, o de transformar seus filhos em sucesso artístico.

Com o resultado positivo sempre batendo à porta, chegaram à gravar com Julio Iglesias, e certa respeitabilidade cultural quando foi lançado o filme biográfico “2 Filhos de Francisco”. Da trilha sonora do filme, saiu um de seus bons momentos, “No dia em que sai de casa”.

8 – Sérgio Reis

Paulistano nascido no tradicional bairro de Santana, fez parte da Jovem Guarda na década de 1960, criando em 1967 a música “Coração de papel”.  Porém, foi em 1972 que o cantor gravou seu primeiro disco de música sertaneja com a canção “Menino da gaita”. Depois, seguiu seu sucesso como cantor sertanejo com as músicas “Menino da Porteira”, “Adeus Mariana”, “Disco Voador”, “Panela Velha”, “Filho Adotivo”, “Pinga ni Mim” e várias outras.

Também já fez carreira como ator  em algumas novelas, como “Pantanal” e “A História de Ana Raio e Zé Trovão”, na extinta TV Manchete; e, “Paraíso” e “O Rei do Gado”, na Globo.

Recentemente, Sérgio Reis recebeu sua sexta indicação para o Grammy Latino. Em novembro, o cantor levou mais uma estatueta para casa na categoria “Melhor Álbum de Música Sertaneja”

9- Trio Parada Dura

Com essa formação atual, – Creone, Parrerito e Xonadão. Que atire a primeira pedra quem nunca se pegou cantarolando os versos de “As Andorinhas” e “Telefone Mudo”? Essa músicas fazem parte da trilha sonora da nova geração que curte sertanejo, tanto quanto dos antigos admiradores. E os donos desses clássicos são mais que referência para toda uma gradiosa safra de artistas que têm perpetuado o gênero musical.

O Trio Parada Dura, que faz parte do cenário sertanejo nacional desde 1973, recebeu ao longo de sua carreira, dez discos de ouro, três de platina e um de diamante. O Trio construiu sua personalidade sobre uma base que conta com letras irreverentes, músicas de enorme apelo popular e um nível de produção surpreendente que marcaram a carreira desses grandes artistas.

Curiosidade: Em 1982, o Trio sofreu um acidente de avião que deixou Barrerito paralítico. Barrerito saiu do grupo e foi substituído pelo irmão Parrerito.

10- Léo Canhoto & Robertinho

Inovadores estéticos, foram os principais responsáveis por incorporar batidas de rock no sertanejo. Também inovaram no visual, ostentando cabelos longos e óculos escuros.

No ano de 1969, Léo Canhoto e Robertinho aproveitando a janela aberta pela Jovem Guarda remodelaram o estilo sertanejo. Mostraram pela primeira vez ao público sertanejo o característico visual que misturava o sertanejo com o country americano. Além de misturar também o boiadeiro com o rockeiro.

O disco que gravaram interpretando rádionovelas de faroeste é impagável como diversão descompromissada. Entre seus tiros certeiros estão “O Último Julgamento”, “O Lobisomem” e a hilariante “História de um azarado”.

Você gosta de sertanejo raiz? Deixe nos comentários o seu cantor ou dupla preferidos 🙂

compartilhe o post

Comente Pelo Facebook