Blog

Bruna Viola, a mais nova musa da música sertaneja

Música
01.09.2015

Conhecida como flor mato-grossense, Bruna Viola está há 11 anos na estrada. Fã de Tião Carreiro e Pardinho é uma legítima fanática por sertanejo de raiz com identidade musical baseada em referências caipiras. A música já estava no sangue, herdada de seus avós maternos.

Com o estilo próprio que criou para tocar viola caipira – entre vigorosos ponteados e as batidas do pagode sertanejo -, Bruna gravou dois discos de forma independente, antes de chegar à Universal Music. Sua crescente popularidade pode ser confirmada nas redes sociais. Bruna tem 1 milhão e meio de visualizações no Youtube para a principal música de seus 11 anos de carreira, “No ponteio da viola”. Nas redes sociais, os milhares de seguidores  proliferam comentários com elogios ao talento da cantora e a sua beleza.

“Tenho orgulho de ser caipira. Hoje em dia está mais na moda, né? O sertanejo está ganhando o Brasil! Mas antigamente tinham vergonha — pontua, sem esconder o sotaque carregado nos erres e sem desprezar o novo sertanejo universitário: — Gosto muito de ouvir as duplas e acompanho o trabalho de Daniel, Marcos e Belutti, entre outros… César Menotti e Fabiano conheci no fim da adolescência e agora gravamos juntos “Se você voltar”.

728x90-1

A música romântica com a dupla faz parte do terceiro álbum da loura, “Sem fronteiras”, o primeiro gravado com o selo de uma grande gravadora, a Universal Music.

Bruna Viola costuma receber canções escritas por fãs, como a mineira Fernanda Calazans, que assina duas faixas em ‘Sem fronteiras’, uma delas é a romântica ‘Derramando saudade’. “Conheci a Fernanda em um show, em Belo Horizonte. Ela me mostrou essa música, feita a partir de hashtags que eu publicava no ‘Instagram’ durante minhas viagens, por isso a parceria”, conta. A outra faixa assinada por Fernanda é ‘Melodias do sertão’, que fala sobre a vida interiorana, de casas simples, com fogo de lenha e cavalos bons de sela. “São coisas caipiras que despertam o interesse dos fãs do sertanejo universitário que estão se voltando para a música de raiz. Aos poucos, a moda de viola vai ganhando mais espaço entre eles”, revela Bruna.

Bruna Viola

E não tem jeito, é o interior que inspira a violeira. Mesmo após trocar o Centro-Oeste por São Paulo (agora ela mora sozinha em Ribeirão Preto), a filha de um operário de silos e de uma dona de casa tem como tema principal das canções a vida na fazenda.

Bruna Viola é autoditada e impressiona pela habilidade com que doma o instrumento em composições difíceis como Luzeiro, de Almir Sater. Segundo palavras de Inezita Barroso: “Poucas mulheres têm coragem de enfrentar a música caipira mais tradicional (…). Espero que Bruna nunca tire a viola do peito”, declarou a, na época, apresentadora do Viola Minha Viola.

História de Bruna Viola

Há alguns anos, os cuiabanos se acostumaram a vê sua conterrânea se apresentando em exposições, eventos e shows.  Em 2009, ela foi convidada pela Rede Globo para participar da novela Paraíso, em uma cena de rodeio gravada no município de Poconé, pantanal mato-grossense. Em 2011, Bruna ganhou, pelo festival nacional de viola “Voa Viola”, a chance de fazer show em Brasília/DF, no Palácio Nacional na sala Vila Lobos.

Bruna Viola Cowgirl Brasileira

Bruna Viola usa boné Cowgirl Brasileira da www.brasilcowboy.com.br

Bruna, que sobe aos palcos desde pequena, teve a mãe Ana Mara como primeira barreira a ser enfrentada. A mãe queria convencê-la a tocar piano e violino, mas não adiantou. Bruna subiu ao palco da Expoagro pela primeira vez para se apresentar no show de abertura do Grupo Tradição. A partir de então, foram surgindo diversos convites para apresentações.

728x400

A influência caipira surgiu com seu bisavô Plúbio. Desde pequena, frequentava a fazenda dele e ficava ouvindo Tião Carreiro e compositores de raiz nas rádios AM.  Ela adorava e o som da viola a encantou pra valer. Bruna também é tataraneta dos irmãos Villas-Bôas, sertanistas que lutaram pela valorização indígena na década de 1940 e idealizaram o Parque Indígena do Xingu, no Mato Grosso.

Serviço:

Confira aqui o Boné Cowgirl Brasileira

compartilhe o post

Comente Pelo Facebook