Blog

Saiba qual a raça de cavalo mais popular em cada região do Brasil

Mundo Country
08.08.2016

Os cavalos são a paixão do mundo country. No Brasil, cada raça de cavalo se desenvolveu melhor em regiões diferentes. O Pantaneiro no Centro-Oeste, o Crioulo no Sul , o Campolina no Sudeste, assim por diante e todas elas têm suas características próprias.

Raça de cavalo Pantaneiro:

raça de cavalo - pantaneiro (Foto Roberto Mattos)

Uma raça que vem crescendo no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Tem origem nesses mesmos estados. Se adaptou a lida no Pantanal, ao estilo de vida do homem pantaneiro e lida muito bem com o gado.

É uma raça de cavalo com porte mínimo de registro para fêmea de 1,35 m para as fêmeas e 1,40 m para os machos, o peso é em média 400 quilos. A pelagem desse animal é predominantemente clara, geralmente tordilho e em todas as formas de baio. São animais de uma rusticidade diferenciada, mesmo assim muito dóceis. Como a principal ferramenta de seleção foi a mãe tem suas peculiaridades, se tornaram cavalos resistentes a todos os tipos de variações climáticas.

Raça de cavalo Crioulo:

raça de cavalo - crioulo (Foto J.G. Martini)

A raça é muito presente no sul do país. Segundo a ABCCC (Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Crioulo) os cavalos tiveram origem da cruza de raças ibéricas, trazidas para a América do Sul pelos colonizadores no século XVI. Os equinos passaram a viver livres em países como Argentina, Uruguai, Chile, Paraguai e no Brasil. E foi só no século XIX que os fazendeiros do sul do continente começaram a domesticar o animal.

Essa raça de cavalo tem como característica seu equilíbrio e harmonia de silhueta. O peso varia entre 400 e 450 quilos, a altura pode chegar a 1,38 m para as fêmeas e 1,40 m para os machos. É um animal que alia elegância com rusticidade, se tornando um cavalo resistente e forte, mesmo assim é dócil e de fácil adaptação. A pelagem dessa raça é variada, o animal pode ser ter desde tons mais claros à avermelhados e preto. Só não existem cavalos crioulos totalmente albinos ou pintados.

Veja também: 5 curiosidades imperdíveis sobre o cavalo crioulo

Raça de cavalo Mangalarga Marchador:

raça de cavalo - mangalarga (Foto Fellipe Araujo Campos)

Popular em Minas Gerais é comumente usado para cavalgadas. Sua origem data dos tempos de Brasil colonial. O surgimento da raça tem ligação direta com a família real, segundo a ABCCRM (Associação Brasileira dos Cavalos da Raça Mangalarga). Quando Dom João VI veio para o Brasil, os navios chegaram carregados com os melhores cavalos da raça Alter de Portugal. Os animais da cavalaria real foram cruzados com outras raças e deu origem aos equinos mangalarga.

É um animal característico para montaria. Marchador, tem resistência para percorrer longas distâncias, é facilmente domável e tem temperamento dócil, o que facilita para qualquer pessoa conseguir montar. Seu adestramento é mais fácil em relação às outras raças. É uma raça de cavalo musculosa sem perder a leveza, sua altura mínima é de 1,47 m e a máxima é 1,57 m.

Veja também: Cavalo Mangalarga Marchador: a raça mais brasileira de todas

Raça de cavalo Campolina:

raça de cavalo - campolina (Foto Flávio Duarte)

A raça está presente no sudeste do país. Sua origem, de acordo com a Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Campolina, data de 1870, quando Cassiano Campolina ganhou de Dom Pedro II uma égua prenha de um Andaluz. O potro, chamado de Monarca, daria início à raça conhecida hoje pelo sobrenome de Cassiano. O fazendeiro, determinado a formar cavalos ágeis, realizou cruzas com raças como anglo-normando e marchador.

Esse animal tem a silhueta esbelta e curvilínea. Herdou da origem Andaluz e Marchador o porte ágil e alto, se destacando também como um cavalo resistente. O peso ideal varia, para o macho de 55o à 600 quilos, já a fêmea é mais leve, pesando de 350 a 450 quilos. Já a altura chega a 1,62 m para os machos  e 1,54 m para as fêmeas. As pelagens mais comuns são a baia, alazã e castanha.

Raça de cavalo Quarto de Milha:

raça de cavalo - quarto de milha (Foto Clóvis S. Prates)

A raça de cavalo mais popular no Brasil é o quarto de milha. Usado em prova de laços, três tambores e também na lida do homem no campo. Presente no Centro-Oeste, Sudeste e também no Nordeste por conta da prova de vaquejada, muito popular na região.

Foi a primeira raça desenvolvida na América, de acordo com a ABQM (Associação Brasileira de Criadores de Quarto de Milha). Os Quarto de milha surgiram por volta de 1600 nos Estados Unidos, da cruza de garanhões árabes trazidos pelos espanhóis e éguas importadas da Inglaterra. No Brasil, chegou em 1955. Foram seis cavalos importados do King Ranch, no Texas, a maior fazenda dos Estados Unidos.

É um animal de temperamento tranquilo e calmo. Considerado versátil, é resistente e dócil. Uma característica é sua cabeça pequena e excelente musculatura. A altura média é 1,52 m e o peso 500 quilos. A pelagem predominante é alazã, mas também pode ser encontrado em outras variedades de pelo exceto pampas, pintados e brancos.

Mangalarga Marchador

Veja também: 8 motivos para amar ainda mais o cavalo Quarto de Milha

Raça de cavalo Árabe:

raça de cavalo - árabe (Foto Roberto Mattos)

Essa raça de cavalo também se insere em todas as regiões do país, mas em número menor que o Quarto de milha. Ele é um cavalo apreciado por sua beleza e conformação perfeita. Muitos criadores introduzem esses animais em provas de lida com o boi, porém a modalidade maior dele se chama Halter e Enduro equestre.

Segundo a ABCCA (Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Árabes), a origem dessa raça é incerta, mas data mais de 3500 anos. O primeiro registro da raça é uma imagem em baixo-relevo egípcio do século 16 antes de Cristo.

As características do cavalo árabe derivam da sua adaptação ao clima desértico, se tornando um animal forte e resistente. Tem porte refinado e é conhecido por sua longevidade e fertilidade. A altura varia entre 1,40 m e 1,52. O peso vai de 340 a 460 quilos. A pelagem geralmente é escura, mas pode ser baia, alazã e pintada.

Veja também: 3 motivos para amar os cavalos árabes

compartilhe o post

Comente Pelo Facebook