Blog

4 Profissões country para se trabalhar com cavalos

Mundo Country
06.05.2016

A escolha de nossa profissão deve ser feita minuciosamente e de acordo com aquilo que gostamos. É mais do que verdade a frase de que se você escolher uma profissão por amor, jamais precisará trabalhar. Hoje, selecionamos alguns ofícios para os amantes de cavalos. Eles não precisam ser apenas seu hobby favorito, podem também ser parceiros em seu trabalho.

Sempre tente atrelar três fatores a sua profissão: algo que você ama  fazer, as suas habilidades e, por fim, o que te pagam para fazer isso. Somando esses fatores você estará mais do que pronto para escolher seu caminho nos próximos anos. Caso você ame cavalos, mas ainda esteja indeciso, selecionamos algumas profissões para dar aquele empurrãozinho extra. Confira:

medicina veterinária

1 – Medicina Veterinária: 

O médico veterinário dá assistência clínica e cirúrgica aos cavalos, além de cuidar da  sua saúde, alimentação e  reprodução. Além da área clínica, pode também atuar com genética, odontologia ou fisioterapia. Para ser um bom médico veterinário não basta ser excelente apenas no mercado de trabalho, é necessário ter o desejo de tratar dos animais com toda atenção e carinho possível. Um ponto positivo é que o mercado de trabalho para o médico veterinário de equinos está se tornando cada vez mais promissor. O profissional dessa área está ligado à manutenção e restauração da saúde do animal. Os médicos veterinários podem ser generalistas, ou seja, não precisam ser especializados em nenhuma área específica, são como os clínicos gerais; ou podem se especializar em alguma área, como a de equinos, área odontológica, entre outros.

2 – Zootecnia:

Zootecnia está relacionada a busca de produtividade e rentabilidade na criação de animais e no desenvolvimento de produtos de origem animal. Esta área também é responsável pelo desenvolvimento de suplementação para os animais e também controla a qualidade dos alimentos.  A orientação de um zootecnista aos seus clientes na hora da compra das melhores rações específicas para cada animal é de grande valia. Eles também fazem a avaliação genética,  desenvolvem sistemas e técnicas de cruzamento e inseminação artificial garantindo rebanhos cada vez mais fortes e resistentes.

Roberta Ariboni, zootecnista, é apaixonada pela área de atuação. Ela se tornou professora para poder compartilhar com seus alunos a sua paixão por cavalos, além de todo conhecimento adquirido durante os anos. Ela relata: ”Uma das maiores satisfações é ver nossos alunos trabalhando nesta área e sendo bem sucedidos. Além disso, o trabalho diário com os animais é perfeito. O cavalo é um animal sensível que expressa todos os seus sentimentos e, com isso, podemos acompanhar sua evolução. Mexer com potros desde o nascimento é muito interessante. Como um animal é diferente do outro, temos desafios diários. É muito bom também ver as pessoas que nunca mexeram com cavalo, superando seus medos e quando conseguem dominar um animal do tamanho do cavalo tem uma satisfação imensa.”

Roberta Ariboni é zootecnista formada e com mestrado na Universidade Federal de Lavras, possui também doutorado na Universidade Estadual de Maringá, além de ter parceria com a Unesp Jaboticabal, atuando na área de nutrição de cavalos atletas. Ela também é Amazona clássica desde os 6 anos de idade. Os ensinamentos de equitação a ajudaram muito. Conhecendo a demanda de campo, dedicou toda a sua formação a aprofundar os estudos sobre cavalos.

3 – Administrador de centros equestres:

Esse profissional é quem supervisiona os cuidados com os cavalos nos Haras ou Centros de Treinamentos. Pode ser formado em administração ou cursos que tenham grades semelhantes, porém estar envolvido com cavalos. Eles cuidam da gestão administrativa desses locais, de pessoas e recursos, como alimentação e medicamentos para os equinos. O administrador de centros equestres é a pessoa responsável por gerenciar administrativa e financeiramente o estabelecimento. O profissional de administração de centros equestres exige muita determinação, força de vontade e criatividade. Uma característica de sucesso dos centros equestres é a constante busca da excelência em seus serviços e produtos oferecidos. Um manejo sem desperdícios de material é fundamental, já que os custos de um centro equestre são altíssimos. O constante aprendizado gerará ao administrador de centros equestres grande destaque nesse ramo.

A administradora do Centro Equestre Villa Cavalcare, Aida Inácio Fernandes , afirma que precisa estar em constante aprendizado em relação ao estatutos, regimentos e regulamentos das competições equestres, além de saber mais sobre as diferentes raças de cavalos, e o cuidado com cada um deles. Aida é formada em Educação Física e Gestão Empresarial, com pós-graduação em treinamento desportivo e MBA em Plano de Desenvolvimento de Líderes. Ela relata que sua rotina não é monótona, pois cada dia é um dia diferente, com situações e clientes diferentes. Mas ressalta que o profissional administrador de centros equestres deve gostar e se dedicar não apenas aos animais, mas também às pessoas.

 

profissões

Foto: Thiago Conessa

4 – Fisioterapia:

Estranho pensar que essa profissão tenha a ver com cavalos.  O fisioterapeuta pode se especializar em auxiliar crianças e adultos que necessitam de tratamentos com Equoterapia. Essa terapia é baseada na utilização de cavalos. Ela busca trabalhar no desenvolvimento de pessoas com necessidades especiais visando uma melhora motora, do alinhamento corporal, além do equilíbrio. A Equoterapia emprega o cavalo como principal responsável em promover ganhos a nível físico e psíquico. Ela contribui para o desenvolvimento da força muscular, relaxamento, conscientização do próprio corpo e aperfeiçoamento da coordenação motora e equilíbrio. A interação do paciente com o cavalo desenvolve, ainda, novas formas de socialização, autoconfiança e autoestima.

Maria da Glória Pillon Nunes, do Centro de Equoterapia e Equitação Equonunes, revela que os profissionais precisam estar em constante aprendizagem e atenção aos métodos da terapia, porém a maior dificuldade da área é que é bem pouco remunerada e não tem apoio de governantes. Por essa razão, a equoterapia é pouco divulgada, ocasionando no seu pouco conhecimento por parte das pessoas que possam precisar de tal tratamento. O Equonunes é composto por uma equipe de psicólogo, fisioterapeuta, equitador e médico veterinário, capazes de auxiliar no melhor desenvolvimento do local, quanto no atendimento às pessoas. Eles atendem crianças especiais, adultos que sofreram acidentes, cujo tratamento proporciona uma melhora considerável para os pacientes.

Estudos demonstram que a prática da equoterapia possibilita estímulos sensório-motores, e favorece o processo de reabilitação do praticante.  Logo, é importante salientar que esse mercado estará em crescimento cada vez mais, visto que auxilia no processo de recuperação de diversos tipos de traumas físicos. Para os fisioterapeutas interessados em se especializar na área, a ANDE-Brasil oferece diversos cursos para esse área da fisioterapia.

 

compartilhe o post

Comente Pelo Facebook