Blog

3 razões para fazer hidroterapia no seu cavalo

Mundo Country
09.03.2016

Os processos de reabilitação e recuperação de equinos tem se revolucionado através de tratamentos como a hidroterapia para cavalos. Essa terapia na água promove inúmeros benefícios para os equinos, como um condicionamento para otimizar o desempenho do cavalo atleta, além de aumentar a flexibilidade e fortalecer o músculo do animal. Além de cavalos atletas, outros equinos que possuam lesões esqueléticas e musculares também são indicados a fazer o procedimento. Se você não tem certeza sobre o uso dessa terapia e seus benefícios, confira abaixo 3 razões  para as quais ela é indicada:

hidroterapia para equinos

1.Auxilia na resistência e disposição para exercícios e competições

Se você é um esportista em modalidades country e quer um melhor rendimento do seu cavalo nas competições, é aconselhável procurar um especialista em hidroterapia equina.

Os benefícios da hidroterapia são inúmeros, desde resultados positivos em relação ao músculo e esqueleto, até cardiovasculares. Esse tratamento aumenta a circulação, flexibilidade e mobilidade do animal; fortalece o tônus muscular; auxilia no equilíbrio e respiração; e, manutenção da postura. É aconselhado para cavalos atletas pós ou pré prova como um treinamento e aquecimento para as competições.

2. Complemento em terapias fisioterápicas

A hidroterapia é aconselhada como complemento em terapias fisioterápicas equinas. Se seu cavalo está em tratamento terapêutico e você precisa de uma melhora gradativa mais eficiente, equilibrar essas terapias pode ser uma boa ideia.

Além de ser um tratamento terapêutico para os equinos, esse método é muito recomendado quando aliado a outros tratamentos clássicos da fisioterapia equina. Por ter uma alta resistência, a água tende a massagear o músculo do animal melhorando o seu tônus muscular. O movimento da água sobre o corpo do cavalo tende a aliviar a dor em áreas inflamadas e recupera lesões musculares.

3. Cavalos em pós-operatório

Cavalos em pós operatório ou com lesões podem ser fortes candidatos a utilizarem a hidroterapia para manutenção e fortalecimento do tônus muscular. Esse tratamento também previne a atrofia de alguns músculos que não são muito utilizados pelo cavalo. Lembrando que quando esses animais estão em pós-operatório tendem a não utilizar alguns músculos, sendo aconselhável o uso de algumas terapias para a recuperação.hidroterapia (2)

Como é o tratamento?

De acordo com a especialista em arquitetura equeste, Diana Brooks, o tratamento é feito em uma piscina de forma circular ou em raia. Existe a exigência de uma rampa de acesso para uma descida gradual e piso antiderrapante para maior segurança do animal. As piscina devem ter uma profundidade de 3 a 4 metros e meio, e a temperatura da água deve girar em torno de 19°C. Esta temperatura permite que os músculos do cavalo permaneçam relaxados e auxilia o seu corpo a liberar o calor em excesso. O veterinário responsável dá voltas com o cavalo, amarrado a uma corda, pela piscina em círculo.

Outra recomendação feita pela médica veterinária Katia Ferraro, é que a piscina deve ser completamente filtrada  de 3 a 6 vezes por dia. Além disso, é recomendável que o animal seja lavado antes de depois da natação para eliminar sujeiras e produtos químicos. Como todo exercício, esse também deve ser feito com moderação. Aconselha-se que esse tratamento seja realizado de 2 a 3 vezes por semana para ver resultados positivos e progressivos, deixando o cavalo na piscina por cerca de 20 minutos, o que equivale a quase uma hora de trote em terra.hidroterapia (4)

Centros de Hidroterapia no Brasil

Existem poucos centros de hidroterapia no Brasil. Um deles é o EquiPrime, um haras especializado em tratamentos terapêuticos em cavalos. Já a empresa Villa dos Cavalos utiliza a Hidroesteira como terapia para cavalos lesionados, uma técnica bem semelhante a da Hidroterapia.

Entrevistadas

Diana Brooks arquiteta equestre

Diana Brooks. CAU A85298-8. Proprietária do escritório Arquitetura Equestre. Arquiteta formada pela PUC de Campinas (2010). Cresceu em meio a cavalos, a apreciação e sensibilidade para entender as necessidades do animal  fez com que a arquiteta buscasse conhecimento especializado em edificações equestres.

Katia Ferraro

Katia Ferraro – CRMV-SP:8203. Graduada em Medicina Veteriária pela universidade de Marília (1993), especialização em acunpuntura pela UNESP-Botucatu (2006), especialização em fisioterapia do cavalo atleta pela Universidade de Buenos Aires (2007), especialização em cinesioterapia em cavalo esporte pela universidade de Buenos Aires(2007).

 

 

compartilhe o post

Comente Pelo Facebook