Blog

Saiba tudo sobre a implantação de microchip em Cavalos Quarto de Milha

Curiosidades
13.04.2016

Mais do que uma inovação, essa técnica tem sido usada e aprovada por vários proprietários de cavalos Quarto de Milha. Esse  procedimento permite a identificação do animal e não gera danos à sua saúde, pelo contrário, traz inúmeros benefícios aos proprietários, criadores, competidores, entre outros profissionais que estão envolvidos no mundo equestre. Por meio do microchip é possível obter informações precisas em tempo real como, por exemplo, a localização do animal, auxiliando tanto no dia a dia como em situações complicadas como furto, perda e acidente.

microchip

Foto: Jean Philippe / ABQM

Estrutura e procedimento:

728x90-1

O minúsculo chip é envolvido num vidro delicado chamado transponder. A implantação é realizada de maneira fácil e rápida. Ele é colocado no animal na região do pescoço com a ajuda de uma injeção com agulha hipodérmica.

O microchip possui o tamanho de um grão de arroz, além de conter um número de identificação que é exclusivo para cada animal, desta forma nenhum cavalo no mundo terá um código igual.  Isso evita qualquer falha na identificação do mesmo. Quando escaneado ele mostra informações como: nome, idade, sexo, pelagem, entre outras. Esse procedimento facilita o manejo no mundo equestre. O microchip pretende substituir outros tipos de identificação como a marca a fogo, a frio e a tatuagem.

 

Para realizar o procedimento, o profissional deve executar uma nova resenha do cavalo no formulário correto da chipagem. Com a leitora, escanear o pescoço em ambos os lados por toda a extensão. Se o animal ainda não foi chipado, efetue a leitura do chip na agulha e confira com o código de barras. Efetue a antissepsia do local e, em seguida, insira o chip do lado esquerdo do pescoço. Logo, leia o chip implantado com a scaner e cole a etiqueta no formulário, date, assine e envie à  Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM).

microchip

Foto: site Dinheiro Rural

Importante:

Os microchips só poderão ser homologados em animais com idade superior a 2 anos, pois depois dessa fase não serão tão evidentes as alterações em sua pelagem e sinais.  A homologação é o ato de vincular um número de chip a um determinado animal. O procedimento só é realizado se as marcas e sinais do cavalo conferem com as marcas e sinais da análise realizada pelo inspetor em formulário correto. A ABQM recomenda em seu site que esse procedimento seja realizado apenas por um técnico devidamente habilitado e especializado. 

Foto destaque: Jean Philippe / ABQM

compartilhe o post

Comente Pelo Facebook