Blog

Laço de Bezerro ou calf roping: prova de precisão e habilidade

Esporte
30.06.2015

O laço de bezerro, também conhecido como calf roping, é uma prova de velocidade e precisão em que o laçador tem pela frente a missão de laçar um bezerro com cerca de 40 dias e 120 kg no menor tempo possível. O esporte surgiu nos Estados Unidos como parte de um trabalho realizado com os gados nas fazendas.

No rodeio, o laço de bezerro acontece da seguinte forma: o peão, montado em um cavalo, aguarda a entrada do bezerro na arena. Assim que o filhote é solto, o cavaleiro sai em galope com o objetivo de laçá-lo.

Ao laçar o animal, o peão desce do cavalo, segura o bezerro com a mão, derruba-o, e com a peia presa na cintura, amarra três ou quatro patas do filhote, imobilizando-o por seis segundos. Se o bezerro escapar, o competidor é desclassificado. Entre 7 a 8 segundos é uma boa média para laçar e imobilizar o bezerro, uma façanha que exige habilidade.

REGRAS

Com a finalidade de manter uma linha de largada, coloca-se uma corda na frente do peão, como se fosse uma barreira, quebrada pelo bezerro ao sair do brete. Se o competidor antecipar a barreira, receberá um acréscimo de dez segundos ao tempo final. A prova é cronometrada e vence quem laça o bezerro no menor tempo possível.

Esse modelo de esporte western chegou ao Brasil na década de 70 e ganhou motivação com a vinda de um dos melhores treinadores de laço, o americano Bob Seels. Ele trouxe a técnica e deu a injeção de ânimo que o esporte precisava. No Brasil, além das competições não oficiais, o esporte é incentivado por competições realizadas pela Associação Brasileira de Quarto de Milha (ABQM) e pela Associação Nacional do Laço de Bezerro (ANLB), formada em 2003 por competidores, treinadores e amantes do esporte Laço de Bezerro. O primeiro campeonato foi realizado no mesmo ano no Rancho VPJ na cidade de Jaguariúna, em São Paulo, distribuindo R$ 170 mil em prêmios.

laço de bezerro

Em 2006, atendendo a vontade de criadores, treinadores e competidores a ANLB instituiu o I Potro do Futuro e Prova Técnica da ANLB. O evento aconteceu no Rancho Quarto de Milha na cidade de Presidente Prudente com 89 inscrições.

Devido ao sucesso de todas as edições anteriores, com boas premiações e disputas de alto nível técnico, o Potro do Futuro e a Prova Técnica da ANLB se tornaram uma das mais aguardadas provas do calendário anual do Laço de Bezerro.

CAMPEÕES

Eduardo Peres é um dos melhores laçadores do país, campeão do Laço de Bezerro 2014 da ABQM. O  campeão mora na fazenda Alegria, em Mandaguari no Paraná, que já sediou várias etapas do campeonato da ANLB. Hoje com 34 anos, Eduardo começou a laçar aos 12 anos com o irmão mais velho Marcio Peres que já praticava laço de bezerro. Formado em medicina veterinária pela Universidade Norte Paraná (Unopar), se dedica exclusivamente às provas de laço de bezerro e à reprodução das éguas quarto de milha da fazenda. O competidor chega a participar de 15 provas por ano em uma rotina de treinamento diário de quatro a cinco horas.  As provas costumam ter premiação entre R$ 10 e R$ 15 mil.

Eduardo Peres em prova Laço de Bezerro

Eduardo Peres em prova Laço de Bezerro

No dia 31 de outubro de 2015, a fazenda Alegria sediará a “Prova Prorelax  Calf Roping” que distribuirá R$ 100 mil em prêmios e reunirá mais de 150 competidores do Brasil e dos Estados Unidos. As inscrições podem ser feitas 1 dia antes do evento.

Eduardo Peres admira e se inspira no trabalho de alguns campeões como Roy Cooper, 8 vezes campeão mundial de rodeio;  Cody Ohl, superstar de roping nos Estados Unidos e Tyson Durfey,  campeão de calf roping, casado com Shea Fisher, cantora de música country australiana.  Estes dois últimos frequentam a Fazenda Alegria nos campeonatos.

Cody Ohl

Cody Ohl

A fazenda é administrada pelos irmãos Peres: Márcio, Alexandre, Eduardo e Júnior. As provas na ‘casa’ dos irmãos são sempre de alto nível e a pista coberta já virou sinônimo de qualidade. Para Eduardo Peres, o segredo é amar o que faz, se dedicar muito e estar preparado tanto fisicamente como mentalmente.

CAVALO

O cavalo é responsável por mais da metade de um bom desempenho na prova, por isso precisa estar preparado e treinado. Eduardo usa a raça quarto de milha por sua velocidade e agilidade e cuida da alimentação dos cavalos de forma balanceada. O seu avô Plínio Machado de Oliveira foi um dos primeiros a levar a raça quarto de milha ao Paraná.

Irmãos Peres

Irmãos Peres

CURSOS

Existem centros de treinamento e ranchos que oferecem cursos de Laço de Bezerro como Rancho dos Amigos – MG e Horse Center – RJ, assim como associações como a Associação Goiana de Cavalo Quarto de Milha que já trouxe C.R Bradley , campeão norte-americano com 11 títulos mundiais.

EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS
Os equipamentos necessários para o cavaleiro são corda de laçar, corda solta e peia. O traje obrigatório é bota, chapéu, camisa de manda longa, cinto em couro e fivela.  (Confira o nosso post: como se vestir como um verdadeiro cowboy). Para o cavalo, deve-se usar sela especial, Skid Boot (pata traseira) e Croche e Caneleira (pata dianteira).

fivela laço de bezerro

Fivela Laço de Bezerro

ORIGEM

A modalidade Laço de Bezerro é um esporte originário dos Estados Unidos, com raízes oriundas do trabalho diário dos fazendeiros na lida com o gado de reprodução, cujas vacas ficam soltas no pasto criando suas crias ao pé.

Na atividade diária do vaqueiro ele tem como obrigação curar, castrar e marcar os bezerros que estão ao pé da vaca. O trabalho é feito a cavalo para apartar, perseguir e laçar o animal que será trabalhado. Foi a partir desta atividade do campo que surgiu o laço de bezerro.

Atualmente, o Laço de Bezerro é reconhecido pela maioria das organizações de rodeio incluindo a Professional Cowboy Rodeo Association (PRCA) e a International Professional Rodeo Association. Nos Estados Unidos há duas organizações que promovem o calf roping: o United States Calf Ropers Association (USCRA) e a Ultimate Calf Roping.

compartilhe o post

Comente Pelo Facebook