Blog

Laço Comprido: dicas e técnicas desta prova de rodeios

Esporte
28.01.2015

A prova do laço comprido é muito praticada em rodeios pelo mundo afora. Ela consiste em laçar o boi que é solto à frente do competidor montado a cavalo. É conhecida com outros nomes como Tiro de Laço no Rio Grande do Sul, mas o nome mais popular é laço comprido.  Desde o brete (compartimento que retém os cavalos) a competição já está valendo e o peão sendo avaliado.

O laço comprido exige habilidades de montaria e técnicas aprendidas com muito treino. Além do peão, o cavalo também precisa ser treinado.  É necessário no mínimo 1 ano para o cavalo começar  a ser bom, mas de confiança  na prova só a partir dos 4 anos de treino.

O laçador deve segurar o cavalo no brete até a saída do boi. O cavalo não deve entrar antes.  Se houver a saída antecipada do peão, é penalizado em dois pontos. Se a culpa for do cavalo, chega a cinco pontos. Se o cavalo atropelar o boi também é penalizado, normalmente com a perda de 1 ponto.

O segredo do laço comprido é aprender a técnica da distância, pois na primeira tentativa o boi já deve ser laçado nos dois chifres para não se soltar e evitar a perca de pontos, por isso deve haver sintonia entre o cavalo e o laçador. O peão deve manter a distância correta quando o boi estiver correndo. Pouco antes de laçar, o peão acelera e para logo em seguida para a laçada.

A prova é realizada em uma pista onde correm os laçadores e os bovinos, denominada cancha. A cancha contém um ponto demarcado chamado raia. O laçador deve arremessar seu laço antes de seu cavalo ultrapassar a marca de 100 metros. O competidor tem cerca de 30 metros para fechar a laçada em torno dos chifres dos bois.

O laço tem em uma ponta uma argola de metal e na outra uma presilha. O seu comprimento total deve ser de aproximadamente 18 a 20 metros. É chamada de armada a parte arremessada na cabeça do bovino e tem medidas que obedecem a categoria do laçador. Cada categoria é definida pela idade e/ou sexo, mas em uma mesma prova podem competir laçadores de categorias diferentes.

A armada é classificada em positiva e negativa. Ela é positiva quando o competidor laça apenas o chifre do boi, e negativa quando o laçador erra, ou o boi tira o laço da cabeça antes de passar pela saída da pista, ou o laçador acerta os chifres do boi depois dos 100 metros. Se a laçada é positiva, ergue-se a bandeira branca, se negativa, ergue-se a vermelha. A bandeira é levantada por um bandeirinha, que fica dentro da pista para observar as armadas. Se alguma armada gerar dúvida, ou o laçador reclamar, a comissão da prova julga a armada.

O laço comprido é uma competição de precisão que envolve duas fases: uma fase classificatória e uma fase final eliminatória (mata-mata) onde quem errar está fora da competição. Ganha o laçador que tiver 100% de aproveitamento na fase do mata-mata.

Depois de laçado, o peão deve dar uma volta com o boi preso e retornar ao brete.

História do laço comprido

A primeira competição de laço comprido aconteceu em Esmeralda, Rio Grande do Sul,  na década de 50, dando origem aos atuais rodeios do esporte, conhecidos nacionalmente.

O esporte surgiu como uma necessidade. Como não havia cercas para contenção dos animais, a única forma de pegá-los era utilizando o laço. Dessa forma, o homem campeiro, até para sobreviver, foi se tornando um exímio laçador. Os homens campeiros fizeram do laço uma arte que foi sendo transmitida de geração em geração.

O laço comprido é mais praticado nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

SONY DSC

Competições

As competições mais comuns são organizadas pelos CTGs (Centros de Tradição Gaúcha) em forma de Rodeios. As provas de tiro de laço é uma das modalidades de competições e é a que mais atrai público. Há os rodeios classificatórios de cada região tradicionalista seletivos para uma disputa da FECARS, a festa campeira a cargo do MTG (Movimento Tradicionalista Gaúcho), considerada o “Nacional do Laço” e que ocorre anualmente em diferentes locais. A FECARS define os campeões de todas as modalidades existentes, bem como Braço de Ouro e, eventualmente, Braço de Diamante. Atualmente o Rodeio mais conhecido é o de Vacaria, realizado a cada 2 anos. Na prova de Tiro de Laço, participam competidores de diversos estados do Brasil e tem, pela dificuldade, o título mais cobiçado: o de campeão da Vacaria – Rodeio de Vacaria.

 

Leia também:

Entrevista com o campeão de laço comprido Manuel Viégas

 

compartilhe o post

Comente Pelo Facebook