Blog

História da montaria em touro (Bull riding)

Esporte
27.03.2015

Do velho México aos rodeios modernos, a montaria em touro se tornou um esporte em crescimento. A regra é simples. O cowboy deve ficar montando no touro por oito segundos.

A montaria em touro se originou das Charreadas, concurso de habilidades de montaria desenvolvidas nas fazendas do Velho México. O esporte é uma variação do Jaripeo, montaria em touro que existe até hoje em que o cavaleiro fica com as duas mãos livres (eles agarram com as esporas) e não há limite de tempo.

Nos Estados Unidos, os rancheiros adaptaram as técnicas e as tradições hispânicas. Muitos gostavam das festas mexicanas tradicionais. HL Kinney organizou a primeira tourada anglo-americana em 1852. Este evento incluiu também o Jaripeo e ganhou a manchete de vários jornais. No entanto, as touradas foram proibidas no Texas em 1891 a pedido da população. Mas, neste mesmo período começaram os rodeios informais com competições entre fazendas vizinhas no Velho Oeste. A localização do primeiro rodeio formal é controversa. Ou Deer Trail, Colorado, em 1869; ou  Cheyenne, WY em 1872.

728x90-1

Um momento crucial para a montaria em touro veio com a fundação da Rodeo Cowboy Association (RCA) em 1936, que mais tarde se tornou a Associação Rodeo Cowboys Professional (PRCA). Os montadores em touro também resolveram criar sua própria organização, em 1992.  20 montadores incluindo Ty Murray, Tuff Hedeman e Cody Lambert, reuniram-se em um quarto de hotel em Scottsdale, Arizona, e cada um contribuiu com $1000 para criar o Professional Bull Riders (PBR).

A_bull_riding_cowboy_holds_tight_as_the_bull_lunges_airborne

A PBR é responsável por organizar a Copa do Mundo de Montaria em Touro, também conhecida como Copa do Mundo de Rodeio. Uma disputa entre 5 times formados pelos melhores cowboys dos 5 países que fazem parte da PBR (Estados Unidos, Canadá, México, Brasil e Austrália). A edição de 2009 foi a primeira disputada no Brasil, em Barretos, com uma emocionante vitória americana no último dia de competição, na considerada mais emocionante e acirrada disputa em mais de 16 anos.

PBR no Brasil

A PBR Brasil atua desde 2005 com sede em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, próxima às divisas com Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, regiões consideradas as mais influentes para o agronegócio.

Hoje, são dois os principais campeonatos realizados no Brasil promovidos pela PBR: o Monster Energy PBR e PBR Open. Os torneios são verdadeiros celeiros de atletas, promovendo nomes importantes entre competidores e atletas de peso.

Regras da montaria em touro

O primeiro critério de julgamento é o tempo. Diferentemente do que parece, o objetivo do competidor é ficar oito segundos sobre o animal, e não o máximo possível. No entanto, para quem pensa que é pouco, um touro chega a dar 14 pulos em 8 segundos.  A partir da largada, o braço livre, em hipótese alguma, pode tocar no touro. O cowboy também pode ser desclassificado se a espora estiver irregular. Ela deve ser lisa igual uma moeda porque o objetivo não é furar o touro, mas dar sustentação ao corpo do cowboy. Com o tempo alcançado, dispara-se um alerta (buzina ou campainha) para que o peão abandone a montaria. Se o juiz entender que o competidor demorou a descer da montaria, pode desclassificar o competidor.

montaria em touro pbr

Outros quesitos também eliminam o cowboy, por exemplo, demorar a sair do brete; bater a mão de equilíbrio no touro, no próprio corpo ou na cerca; prender a espora na corda da montaria; e usar qualquer equipamento ou objeto que coloque em risco a integridade física do animal.

O competidor tem o direito de trocar de touro caso o animal tenha se apresentado abaixo do esperado e, se na soma total, a nota for baixa. Se o touro cair, ou acontecer algo que prejudique a montaria, o peão tem outra chance de participar da prova.

728x400

Para a nota, o juiz avalia, separadamente, o desempenho do bovino e do competidor, sendo 50% para cada. A pontuação vai de 0 a 100 pontos. Com os touros, observam-se cinco quesitos: intensidade, pulo, giro, coice e grau de dificuldade. No caso do peão, leva-se em consideração o domínio sobre os quesitos citados e se o atleta está bem posicionado e com estilo.

Equipamento

Os equipamentos para montaria em touros são imprescindíveis para quem participa desse tipo de competição. A principal função é proteger contra acidentes.

Exemplos de equipamentos para montaria em touros: calças apropriadas, chaparreiras, cordas, coletes, chicotes esporas e capacetes.

Brasileiros dominam a montaria em touro

No exterior, os atletas brasileiros conquistam cada vez mais espaço. Para se ter ideia, das 21 finais mundiais, nove foram conquistadas por brasileiros, três por Adriano Moraes (1994, 2001 e 2006), Ednei Caminhas (2002), Guilherme Marchi (2008), Renato Nunes (2010) e Silvano Alves (2011, 2012 e 2014).

Confira os campeões da PBR dos últimos vinte anos:

2014 –  Brasil – Silvano Alves de Almeida Goes

2013 –  Estados Unidos – James Burton Mauney

2012 –  Brasil – Silvano Alves de Almeida Goes

2011 –  Brasil – Silvano Alves de Almeida Goes

2010 –  Brasil- Renato Nunes Rosa

2009 –  Estados Unidos – Kody Lostroh

2008 –  Brasil – Guilherme Antônio Marchi

2007 –  Estados Unidos – Justin Travis McBride

2006 –  Brasil – Adriano da Silva Moraes

2005 –  Estados Unidos – Justin Travis McBride

2004 –  Estados Unidos – Mike Lee

2003 –  Estados Unidos – Chris Shivers

2002 –  Brasil – Ednei de Souza Caminhas

2001 –  Brasil – Adriano da Silva Moraes

2000 –  Estados Unidos – Chris Shivers

1999 –  Estados Unidos – Cody Hart

1998 –  Austrália – Troy Dunn

1997 –  Estados Unidos – Michael Gaffney

1996 –  Estados Unidos – Owen Washburn

1995 –  Estados Unidos – Richard Tuff Hedeman

Campeões PBR BRASIL

Campeões Nacionai
2014 – Tiago Vitor
2013 – Claúdio Crisostomo
2012 – Edevaldo Ferreira
2011 – Edevaldo Ferreira
2010 – Elton Cide
2009 – Thiago Paguiotto
2008 – Edimundo Gomes
2007 – João Mauro Kugel
2006 – Elton José de Souza

 

compartilhe o post

Comente Pelo Facebook