Blog

Quatro histórias de amor por cavalgada que vão te encantar

Esporte
22.07.2016

Todo mundo sabe que o mundo country adora cavalgada. Conversamos com 4 praticantes deste esporte para falar um pouco desse amor.

Amor em família

A bióloga Gabriela Coury de Andrade, 42, começou a fazer cavalgadas por influência do pai, Edson Andrade, 68, que é apaixonado por cavalos e proprietário do Haras da Brisa em Chapada dos Guimarães – MT.

Mas a herança do amor pelos equinos começou bem antes com seu bisavô e já é passada também para suas filhas, Malu, de 13 e Alice, de um ano e meio.

728x90-1

Veja a galeria com fotos da Gabriela

Segundo a bióloga viver com cavalos é sempre um aprendizado, eles têm uma lealdade e servidão, as trilhas são lugares encantadores e ver a natureza de perto faz muito bem. “A Chapada dos Guimarães tem uma história de lutas e mistérios, aqui vivia uma grande população indígena na época da colonização, os paredões eram território sagrado para eles”. Ela conta ainda que as trilhas por onde cavalgam foram usadas pelos bandeirantes nos anos 1700.

Aventura pelo mundo

Para os que gostam de aventura, a cavalgada ecológica, geralmente realizada em trilhas, é uma oportunidade de conhecer novas paisagens e contemplar a natureza de uma maneira não convencional, em cima de um cavalo.

É o caso da empresária Fabiana Maroni, 56, que faz as cavalgadas pelo mundo afora. Ela já gostava de cavalos, mas foi por influência de uma amiga que cavalgou pela primeira vez, e, desde então, nunca mais parou. Fabiana fez trilhas por toda a América Latina, alguns países da Europa e até no Marrocos.

Veja a galeria com fotos da Fabiana

A empresária conta que é muito importante conhecer a trilha por onde vai cavalgar. Quando começou a fazer expedições ela foi até a Patagônia, onde viveu uma experiência traumática. “Eu sempre vou antes para conhecer o tipo de cavalgada e o tipo de cavaleiro e eu mesma acabei me dando mal. Chegou a informação de que eu era uma grande cavaleira e acabaram me fazendo uma trilha extremamente difícil.” A trilha que Fabiana fez era à beira de um precipício e hoje ela evita caminhos em grandes alturas.

Guiado pela fé

As cavalgadas não são feitas só por esporte ou lazer, há também aqueles que fazem procissões com seus cavalos. O zootecnista Diego Dias Lopes, 33, começou a participar das cavalgadas ainda pequeno e sempre foi apaixonado por cavalos.

Veja a galeria com fotos do Diego

Diego cavalga em Palmeiras de Goiás e nas cidades vizinhas faz cavalgadas muito voltadas para a religião. “Muitas cidades têm cavalgadas na festa do padroeiro. Aqui próximo a Palmeiras, temos em Nazário, Jandaia, Santa Barbara e Trindade”.

O zootecnista conta ainda que o desfile dos cavaleiros em Trindade é considerado um dos maiores do mundo. Este ano teve quase 4000 cavaleiros e amazonas de diversas partes do Brasil, alguns chegam a cavalgar mais de 300 km.

Diego participa do desfile há cerca de 8 anos, esse foi o segundo ano que ele fez a romaria. “Andamos uns 80 km em 2 dias, tive um acidente com meu braço que quebrei há um ano, e mesmo com a dificuldade da dor fui aos pés do divino pai eterno agradecer pelas bençãos.”

Comitiva de amigos

Outra prática comum de cavalgadas são as realizadas em comitivas. Grupos de amigos que se reúnem pelo amor em comum a cultura sertaneja e aos cavalos.

É o caso do agropecuarista Celso Leopoldo Nunes, 50, que realiza as cavalgadas há cerca de 18 anos, na comitiva União em Rondonópolis-MT.

Cavalgada-Celso

As comitivas vão até festivais e eventos cavalgando juntos. Celso conta que a comitiva se reúne pelo menos uma vez por ano e que a cavalgada já chegou a ter 50 cavaleiros.

A cavalgada em comitiva se torna um evento. Os animais desfilando pela cidade, mudando de ambiente tranquilamente, chamam atenção de quem está por perto. Para o zootecnista o que marca é o contato com várias pessoas e as novas amizades que se formam.

Aliviando corpo e alma:

Uma unanimidade entre os amantes da cavalgada é o benefício que ela traz tanto para a saúde física como para a mental. A cavalgada, considerada uma modalidade de esporte equestre, ajuda o praticante na melhora do condicionamento físico, tem baixo impacto e beneficia a postura. É um esporte relaxante, praticado por muitos para aliviar o estresse do dia a dia. Além do cavalgar do animal e o contato com a natureza, a convivência com outros amantes dos cavalos é uma troca de experiência que melhora o bom humor, os encontros podem dar origem a grandes amizades.

728x400

Dicas:

As cavalgadas geralmente são realizadas em grupo e previamente marcadas. Agências de turismo e haras são opções para quem quer praticar o esporte pela primeira vez. Existem vários níveis de dificuldade da cavalgada, dependendo da trilha.

Primeira Cavalgada da 24º Festa da Àgua Santa. Foto Raquel Watanabe

Primeira Cavalgada da 24º Festa da Àgua Santa. Foto Raquel Watanabe

 

O que vestir:

As cavalgadas duram o dia inteiro, por isso o traje deve ser confortável. Calça, camisas leves, e claro, a boa e velha bota. 

Conheça a história das cavalgadas

As cavalgadas surgiram na Europa e na África, principalmente na região do Oriente Médio, como uma prática de adestração dos cavalos, com a origem da domesticação dos animais. A reunião dos praticantes das cavalgadas pode ter motivos religiosos, turísticos e por lazer. Recentemente tem se inserido como um esporte, com a realização de grandes encontros e eventos.

Os cavalos podem ser das mais variadas raças Mangalarga, Quarto de Milha e também Pantaneiros, mas dever ser resistentes, treinados e mansos, assim qualquer pessoa pode cavalgar.

Arrastando multidão:

Uma das maiores cavalgadas da América do Sul é a Cavalgada da Nevasca, realizada pela rádio NevascaFM em São Joaquim-SC. O evento existe desde 2007 e esse ano acontece no dia 29 de Julho, homenageando o dia do colono e do agricultor. São esperados 8.000 cavaleiros e amazonas para o percurso de 24 km.

Serviço:

O Haras da Brisa fica na Rodovia Emanuel Pinheiro km 54, estrada Cuiabá para Chapada dos Guimarães – MT e funciona de quinta a segunda.

Telefone de contato para agendamento (65) 99999-1973

Imagem de destaque Luciano Justiniano

compartilhe o post

Comente Pelo Facebook